Início » Blog » Acessibilidade » As grandes empresas que são exemplo de acessibilidade e inclusão!

As grandes empresas que são exemplo de acessibilidade e inclusão!

Imagem retangular na horizontal. No plano de fundo há alguns prédios coloridos sob um céu azul claro. No primeiro plano há trés braços segurando medalhas de ouro numeradas de 1 a 3, simulando um pódio. Fim da descrição.

Quantas vezes você pensa em uma empresa específica quando ouve falar em acessibilidade? As empresas estão super presentes no nosso dia a dia e empregam um grande número de pessoas com deficiência. Mas, mesmo assim, raramente a gente para para pensar em como a inclusão e a acessibilidade são tratadas por elas.

A realidade é que muitas organizações ainda não discutem esses temas. Por sorte, existem algumas que levantam essa bandeira e colocam a mão na massa! E elas merecem toda a divulgação possível. Afinal de contas, elas servem de exemplo para as que estão atrasadas nessa discussão.

Vamos falar sobre as práticas de acessibilidade de três grandes empresas. Na verdade, três gigantes, de setores bem diferentes: cosméticos, varejo e serviços. Será que você sabe quem são elas?

Natura: colocando o colaborador no centro

A primeira empresa da nossa lista é uma queridinha da gente: a Natura! Quem é leitor assíduo do blog já leu o caso que a gente escreveu sobre a empresa 💛. Lá a gente conta tudo o que ela faz com detalhes. A gente vai fazer um resuminho aqui, mas você pode conferir o material completo clicando nesse link.

A acessibilidade na Natura parte de valor básico da empresa: a valorização dos colaboradores. A sua Visão de Sustentabilidade 2050 traz a Rede de Relações como um dos pilares e os colaboradores são uma das bases dele. Logo, a gigante dos cosméticos não poderia deixar de olhar com carinho para as pessoas com deficiência. Mais do que cumprir a Lei de Cotas, a Natura tem uma meta anual de contratação de PCDs, que é superior à cota exigida por lei! E o foco em ter equipes diversas não termina na contratação. O objetivo principal da Natura é incluir de verdade todas essas pessoas!

E aí entra uma coisa super legal: a atenção especial que as pessoas surdas recebem na Natura. Os funcionários ouvintes podem fazer cursos de Libras e apadrinhar colegas surdos quando eles entram na empresa. O padrinho acompanha a pessoa surda nas atividades do dia a dia e ajuda a quebrar as barreiras de comunicação. E com o Hugo na intranet, as pessoas surdas da Natura têm autonomia para conhecer mais sobre a empresa e manterem-se atualizados com as notícias internas! 

Magazine Luiza: acessibilidade para dentro e para fora

Assim como a Natura, o Magazine Luiza também trabalha a acessibilidade da porta para dentro, com os seus funcionários. A inclusão está no DNA da empresa, que tem uma cultura interna super aberta à diversidade. Desde 2013, o seu Programa de Inclusão Social oferece treinamentos e realiza sensibilizações com os colaboradores dos escritórios e das lojas, trazendo o assunto para o dia a dia e tirando dúvidas comuns.

Mas a empresa também se preocupa com a acessibilidade para os clientes, com iniciativas da porta para a fora. O site do ML, por exemplo, está acessível na Língua Brasileira de Sinais, permitindo que seus clientes surdos naveguem à vontade e comprem sem dificuldade. Em uma realidade em que muitas pessoas surdas dependem das Línguas de Sinais para se comunicarem, a iniciativa tem um grande valor!

Banner. Fundo azul. Do lado esquerdo o logo da Natura. Ao lado está escrito "Como tratar a acessibilidade como investimento dentro de grandes empresas? Descubra!"

O pioneirismo digital da Ernst Young

A Ernst Young (EY) é uma das quatro maiores consultorias estratégicas do mundo (as chamadas Big Four) e é uma pioneira quando o assunto é acessibilidade digital. Como a própria empresa diz na sua declaração de acessibilidade, o seu site foi desenvolvido para que cada visitante possa escolher como quer aproveitar o conteúdo, com diferentes recursos de tecnologia assistiva à disposição!

As pessoas com deficiência visual, por exemplo, contam com os recursos de audiodescrição e ajuste de texto da Browse Aloud, que garantem o acesso ao site tanto para quem é cego quanto para quem tem baixa visão. E é claro que o Hugo também está por lá, trazendo acessibilidade em Libras para as pessoas surdas e literalmente vestindo a camisa da EY (abra a janela de Libras no site da empresa para dar uma olhada)! O site foi inteiro desenvolvido com base nas diretrizes de acessibilidade da W3C, um consórcio mundial que reúne as melhores práticas acessibilidade na construção de sites.

A EY tem um compromisso com a diversidade que é bastante evidente. A empresa faz parte da Rede Empresarial de Inclusão e tem seu próprio programa de desenvolvimento de pessoas com deficiência, o EY Able, que tem trazido bons resultados. Mais de 15% dos seus profissionais com deficiência foram promovidos internamente! E o reconhecimento também vem de fora. Em 2016 a organização recebeu uma menção honrosa do Governo de São Paulo e da ONU em Nova Iorque, por suas Boas Práticas para Trabalhadores com Deficiência.

Banner retangular com transparência amarela. Ao fundo, está a foto de um grupo de pessoas no escritório. E o texto: Como a EY se tornou referência em diversidade e inclusão.

Interessante ver como cada empresa se aprofunda em um aspecto diferente da inclusão, né? O que a sua empresa tem feito sobre isso? Conta para a gente nos comentários!

Voltar ao topo