O que é ChatGPT e sua relação com a acessibilidade digital?

Ilustração do Hugo de costas, mexendo em um tablet. Atrás dele, o logo do ChatGPT

Não podemos negar que a Inteligência Artificial chegou com tudo e já tem transformado a maneira como lidamos com nossas atividades diárias. Talvez você não perceba, mas a IA se tornou uma grande aliada do nosso cotidiano. É por meio dela que conseguimos encontrar os melhores caminhos para chegar ao trabalho sem trânsito, desbloquear o aplicativo do banco com reconhecimento facial e receber recomendações personalizadas da próxima série para assistir nas plataformas de streaming. 

É nesse contexto que surge o ChatGPT, com uma promessa de revolucionar a maneira como interagimos com a Inteligência Artificial. A plataforma já se popularizou tanto que teve um crescimento recorde de número de usuários. Para você ter uma ideia, em menos de 2 meses o ChatGPT chegou a 100 milhões de usuários. Enquanto isso, o TikTok, que vem em segundo lugar nesse ranking, demorou 9 meses para alcançar essa marca.

Nos acompanhe neste texto para aprender mais sobre o ChatGPT, alguns dos impactos que pode causar na nossa sociedade e como ele se relaciona com a acessibilidade.

O que é o ChatGPT?

O ChatGPT, sigla para Generative Pre-Trained Transformer (Transformador Generativo Pré-Treinado, em português) é um modelo de Inteligência Artificial desenvolvido pela empresa OpenAI em 2019, e lançado oficialmente em novembro de 2022. Em resumo, é uma ferramenta conversacional online baseada em IA. Ela é capaz de “imitar” a linguagem humana, criando textos em tempo real e respondendo perguntas de maneira relativamente complexa.

Agora, se você preferir uma explicação mais detalhada, podemos definir o ChatGPT como um modelo de linguagem baseado em deep learning (aprendizagem profunda). Ou seja, é uma plataforma que se baseia em redes neurais para conseguir conversar com os usuários de um jeito mais humanizado.

Essas redes neurais funcionam quase como um cérebro. Elas recebem uma quantidade enorme de dados sobre a linguagem humana e informações disponíveis online, que atuam como exemplos do que fazer. Assim, elas ensinam o ChatGPT a conversar, sendo capaz de processar e entender diferentes contextos e solicitações, respondendo às perguntas de uma forma mais precisa, humanizada e complexa. 

A diferença entre chatbots e o ChatGPT

Apesar de poderem exercer funções bem parecidas, os chatbots e o ChatGPT têm uma diferença fundamental entre si. Os dois conseguem conversar com você, mas um é capaz de ter uma conversa mais fluida, enquanto o outro precisa ficar preso a um roteiro pré-estabelecido.

Os chatbots são aqueles que se baseiam em regras pré determinadas para funcionar, como um roteiro. Por isso, só conseguem responder as dúvidas para as quais ele foi manualmente programado para saber. 

Por exemplo, vamos supor que você quer resolver problemas com uma operadora telefônica. Normalmente será direcionado primeiro para um chatbot, que guiará a conversa te dando um caminho de opções até chegar na sua solução. Mas se a sua dúvida for mais complexa, ou não encaixar dentro do roteiro, ele vai te direcionar para um atendente humano, que aí sim poderá te entender e auxiliar melhor.

Por outro lado, o ChatGPT é uma tecnologia de modelo de linguagem. Ou seja, consegue fazer pesquisas e conectar informações de um jeito mais complexo. Assim, ele compreende melhor o contexto e significado de diferentes frases, conseguindo dar respostas mais dinâmicas e flexíveis, já que não depende de um contexto pré-definido para funcionar.

Como o ChatGPT funciona?

Você já sabe que o ChatGPT se baseia em deep learning e redes neurais, mas como ele funciona exatamente? Bom, a partir de uma base de conhecimento disponível na internet, ele é treinado para decodificar palavras e contextos. Então quando alguém faz uma pergunta, ele processa todos esses dados e informações, aprende a resposta ideal para a situação e oferece uma explicação em forma de texto.

O ChatGPT ainda é uma ferramenta muito nova, que está em processo de atualização e evolução. Isso é muito importante para que ele evite dar respostas erradas ou enviesadas e preconceituosas. 

Como usar o ChatGPT?

A boa notícia é que o ChatGPT é uma plataforma gratuita e super simples de usar. Confira esse passo a passo para saber como:

  1. Entrar no site. Às vezes ele pode ser um pouco instável pela alta demanda de usuários simultâneos.
  2. Clicar em “try ChatGPT”. A plataforma vai te direcionar para o login.
  3. Realizar o cadastro.
  4. Fazer suas perguntas!

Dicas de usos úteis do ChatGPT

Você quer muito usar o ChatGPT mas não sabe por onde começar? Separamos alguns exemplos de usos úteis para você testar:

  • Pergunte sobre curiosidades de eventos históricos;
  • Prepare uma receita com o que você tem sobrando na geladeira;
  • Monte um roteiro de viagem;
  • Escreva um poema romântico;
  • Construa linhas de código para um site;
  • Crie tutoriais de uso de um novo produto;
  • Escreva textos curtos e técnicos para um manual de instruções;
  • Faça pesquisas rápidas de assuntos complexos, como aprender o que é o metaverso.

Quais os principais Chatbots de IA?

ChatGPT (Microssoft)

O ChatGPT não é exatamente propriedade da Microsoft, mas é uma grande aposta dessa gigante da tecnologia, já que ela é uma das principais investidoras da OpenAI. Com o sucesso da ferramenta, os aportes milionários continuam chegando. 

A Microsoft quer bater de frente com a concorrência dos outros mecanismos de busca, então seu objetivo é incorporar o ChatGPT no seu próprio buscador, o Bing.

Bart (Google)

Enquanto isso, o Google e a Meta também estão investindo fortemente em suas próprias versões de chatbots de IA, já que não querem ficar para trás. Mesmo que seja de uma maneira mais conservadora e cautelosa, o Apprentice Bart e a LLaMA, já estão em desenvolvimento.

O Bart é criado com a missão de reimaginar como as pessoas pesquisam e interagem com as informações, tornando o processo de busca mais natural e intuitivo. No entanto, trabalhar com Inteligência Artificial pode ser desafiador, por isso, o Google também está desenvolvendo paralelamente um guia de boas práticas para conteúdos produzidos por IA, o Google Search’s Guidance About AI-generated Content.

LLaMA (Meta)

Já a LLaMA surge focada em usos para pesquisadores acadêmicos e ainda não está liberada para o público. Neste começo, a Meta está disponibilizando a plataforma para filiados a organizações governamentais, da sociedade civil e instituições educacionais, além de laboratórios de pesquisa da indústria.

Qual a relação entre Chat GPT e a acessibilidade digital?

Infelizmente a acessibilidade digital ainda não é prioridade para muitas empresas, apesar de ser lei no Brasil e em vários outros países. Portanto, não é uma surpresa que o ChatGPT também não esteja devidamente preparado para auxiliar os sites nesse aspecto. 

O Especialista em Tecnologias Web do Ceweb.br, Reinaldo Ferraz, fez uma pesquisa muito interessante sobre a acessibilidade digital e o ChatGPT em que revela as fragilidades da ferramenta nesse contexto. Resumidamente, a solução de IA consegue identificar aspectos simples de acessibilidade digital, como identificar idiomas de sites e sugerir estruturas de conteúdo, mas ainda não é capaz de fazer uma análise técnica muito aprofundada no tema. Ah, ela também tem dificuldade em sugerir boas descrições alternativas para imagens, um aspecto super importante da acessibilidade digital.

Imagem retangular na horizontal com fundo na cor azul escura. No canto esquerdo está o logo do Hand Talk Webinar. Ao centro o texto: "chatgpt e acessibilidade: uma análise da ferramenta". Ao lado desse texto um botão na cor branca com o texto: "Assistir" na cor azul.

Quais os impactos do ChatGPT no mercado de trabalho?

As revoluções tecnológicas sempre afetam o mercado e a força de trabalho. Um ótimo exemplo é a Revolução Industrial, que fez todos os trabalhadores se desesperarem por achar que seriam todos trocados por máquinas. Na verdade, a situação não era bem assim, mas todo mundo precisou se adaptar a essa nova realidade tecnológica. Com o ChatGPT não será diferente.

Ainda é cedo para fazer qualquer afirmação com muita certeza, mas o ChatGPT deve se inserir no mercado de trabalho principalmente como uma ferramenta de otimização de processos. Assim, com o tempo, as pessoas poderão focar em atividades mais estratégicas e menos operacionais. 

A nova ferramenta de IA deve afetar principalmente as áreas de comunicação, marketing, atendimento ao cliente e TI, por estarem mais atreladas a relacionamentos com usuários e produção de conteúdo, sejam textos ou códigos.

O ChatGPT é uma ameaça para os profissionais?

Não, pelo menos por enquanto. O ChatGPT ainda não é capaz de substituir o trabalho humano, e não sabemos se será um dia. Apesar de revolucionário, ele ainda produz apenas conteúdos simples e não está ao nível da capacidade humana. 

A originalidade ainda é um fator determinante para a vida longa dos profissionais. Até porque, como vimos, o ChatGPT pode produzir respostas bastante enviesadas, já que é baseado em informações fornecidas previamente pela internet. 

De qualquer forma, a expertise humana ainda será necessária para saber fazer as perguntas certas à ferramenta e conseguir adaptar as respostas para o melhor uso em cada contexto.

Ainda, a própria OpenAI já desenvolveu mecanismos anti plágio, que identificam se um texto foi criado por IA ou não. Vale a pena prestar atenção nisso e não confiar só no ChatGPT para escrever seus posts daqui para frente, até porque conteúdos feitos por Inteligência Artificial não são nada bons em termos de SEO.

Como a Inteligência Artificial pode ser usada para o bem social?

A Inteligência Artificial como um todo tem um grande potencial de ser uma importante aliada para o bem social e a acessibilidade digital. Na verdade, ela já é essencial para o desenvolvimento de algumas tecnologias assistivas. Caso você ainda não conheça esse termo, as tecnologias assistivas consistem em diferentes produtos ou dispositivos que buscam melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência, promovendo a elas mais autonomia e independência.

O ChatGPT pode se tornar uma ótima plataforma para apoiar a construção de uma web mais acessível, mas enquanto isso não é uma realidade as pessoas com deficiência já podem usufruir da IA em outras ferramentas. Alguns exemplos são os leitores de tela, os softwares de comunicação alternativa para pessoas com dificuldade de fala, e até tradutores virtuais para Línguas de Sinais, como o Hand Talk Plugin.

Como a Inteligência Artificial já serve como um impulso para a transformação digital, nada melhor do que também cumprir um papel relevante para a promoção do bem social.

Conclusão

O ChatGPT é definitivamente uma tecnologia inovadora, que apesar de ainda estar em desenvolvimento é bem versátil e já pode nos ajudar muito no dia a dia. Mesmo com pouco tempo de lançamento ela já está fazendo sucesso e gerando um grande burburinho no mercado de trabalho. Que tal então conhecer um pouco mais sobre outras ferramentas de Inteligência Artificial que podem ser suas aliadas no cotidiano? 

Voltar ao topo